O Padre António Luciano dos Santos Costa, até este momento Vigário Episcopal para o Clero da Diocese da Guarda, foi nomeado hoje pelo Papa Francisco para Bispo de Viseu, sucedendo assim a D. Ilídio Pinto Leandro.

Nasceu a 26 de março de 1952, em Corgas, freguesia e paróquia de Sandomil, conselho de Seia, distrito da Guarda.

Filho de José Mendes da Costa e de Maria da Trindade Mendes dos Santos, é o mais velho de sete irmãos, sendo o único filho varão. Foi batizado a 7 de maio de 1952.

Frequentou a Escola Primária de Corgas e o Colégio de Nossa Senhora da Conceição em São Romão.

Frequentou a Escola de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca em Coimbra e trabalhou como Enfermeiro nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Depois de cumprir o serviço militar em Moçambique, retomou funções nos Hospitais da Universidade de Coimbra, completando a sua formação em Enfermagem.

Iniciou o percurso para a formação sacerdotal no ISET no ano letivo de 1980/1981 e continuou-o no Seminário da Guarda.

Foi ordenado Diácono a 8 de dezembro de 1984 e Presbítero a 29 de junho de 1985, na Sé Catedral da Guarda.

Foi nomeado membro da Equipa Formadora do Seminário Maior, Diretor Espiritual, responsável pelo Secretariado das Vocações e Pré-Seminário, colaborou na Capelania do Estabelecimento Prisional e foi professor de Educação Moral e Religiosa Católica no Colégio Diocesano de São José. Foi enviado para Roma com a finalidade de estudar Teologia Moral na Academia Alfonsiana no biénio de 1987/1989. Integrou a Comunidade do Pontifício Colégio Português. Conclui a Licenciatura com uma dissertação sobre o pensamento e obra de Bernard Haering: «Ser livre em Cristo. Projeto Responsável do Homem».

Em outubro de 1989, iniciou funções de professor de Teologia Moral no Seminário Maior da Guarda e de Deontologia Profissional e Ética na Escola de Enfermagem, funções que exerceu até ao ano académico de 2011.

Foi Vice-Postulador da Causa de Beatificação e Canonização do Venerável Servo de Deus D. João de Oliveira Matos, que foi Bispo Auxiliar da Guarda.

Foi nomeado Juiz do Tribunal Eclesiástico e notário para as Causas de Beatificação e Canonização dos Veneráveis Servos de Deus Monsenhor Joaquim Alves Brás e Beata Rita Amada de Jesus. Foi Diretor do Departamento Diocesano das Missões. Empenhou-se como padre, professor, pároco, capelão e Vigário Episcopal para o Clero em várias frentes de ação pastoral na sua Diocese.

A partir de janeiro de 1991, foi pároco de várias paróquias, primeiro no arciprestado da Guarda e depois no da Covilhã. Exerceu funções de Arcipreste e delegado ao Conselho Presbiteral. Na Covilhã iniciou trabalho pastoral no mundo universitário e, graças a diligências feitas pelo primeiro Reitor, foi possível criar na UBI uma Capelania promovida pela própria Universidade. A nomeação oficial para Capelão ocorreu em janeiro de 1997 e foi até 2009.

Lisboa, 3 de maio de 2108