Está a decorrer em Fátima, de 19 a 23 de fevereiro, o Retiro do Episcopado com a presença de 35 Bispos portugueses e do Núncio Apostólico. Tem como orientador o Padre Adelino Ascenso, Superior Geral da Sociedade Missionária da Boa Nova.

Além dos longos tempos pessoais para oração e meditação, temos os seguintes momentos comuns: duas meditações por dia, a segunda das quais se inicia com a Hora Intermédia; a celebração de Laudes, durante a qual o orientador faz uma breve meditação, e de Vésperas; um prolongado tempo de Adoração do Santíssimo; e a celebração da Eucaristia, cuja homilia está a cargo do orientador do retiro. O Secretariado Nacional da Liturgia ocupa-se dos cânticos.

O retiro é todo em silêncio, mesmo às refeições, durante as quais se lê uma obra espiritual, geralmente a vida e escritos de um santo.

Refiro o título das oito meditações do Padre Adelino: 1. Introdução: silêncio do deserto. 2. Este livro que sou eu: silêncio latejante. 3. O fio de Ariadne: silêncio do labirinto. 4. O drama do P. Rodrigues: silêncio ensurdecedor. 5. A pungência da dúvida: silêncio de Deus. 6. Imagem de Cristo que atravessa o silêncio. 7. O samaritano na periferia: solidariedade no silêncio. 8. Grãos de areia: quebra do silêncio.

Por feliz coincidência, neste dia 20 tivemos a graça de celebrar pela primeira vez a Festa dos Santos Francisco e Jacinta Marto, aqueles «a quem a Virgem Maria introduziu no mar imenso da Luz de Deus», como afirmou o Papa Francisco na celebração de canonização a 13 de maio passado em Fátima.

P. Manuel Barbosa